Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

HARARE (Reuters) - O líder da oposição do Zimbábue, Morgan Tsvangirai, morreu nesta quarta-feira após uma longa batalha contra um câncer, gerando dúvidas sobre o futuro de seu partido Movimento para a Mudança Democrática (MDC), menos de três meses após o exército do país derrubar o líder de longa data Robert Mugabe.

Tsvangirai, que morreu na África do Sul, tinha 65 anos.

    “Posso confirmar que ele morreu nesta noite. A família comunicou isto para mim”, disse o vice-presidente do MDC, Elias Mudzuri, à Reuters.

    Provavelmente o político mais popular do Zimbábue, a carreira do líder sindical foi no fim das contas definida por suas rixas – literais e figurativos – com Mugabe, de 93 anos e que renunciou após um golpe em dezembro.

    Eleições devem acontecer dentro dos próximos seis meses e a morte de Tsvangirai deixa o partido desorganizado, para vantagem do partido governista ZANU-PF, agora liderado pelo vice de Mugabe, Emmerson Mnangagwa.

    Embora Tsvangirai tenha sofrido sérios abusos físicos nas mãos de forças da segurança, incluindo sérios ferimentos na cabeça sob custódia da polícia em 2007, ele formou uma intranquila relação de trabalho com Mugabe em um governo de coalizão de 2009 a 2013.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.









swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters